domingo, 1 de fevereiro de 2009

Transliteração de Corpos



Transcrevemo-nos os corpos nos corpos, Transliteração
Inspiração, transpiração
Conjugação inflamada de verbos imperativos
Na repetição de silabas ilógicas
Que nomeiam em perfeito as sensações
Primitivo dos desejos
Pretérito do gozo

Te leio estrofes, versos, palavras e letras
Ora braile, ora minhas mais variadas línguas
Te fazendo cantar
Doce, estridente, suspiros e gritos
Melodia de notas agudas
Letra, poesia da carne
Refrão que repete, repete e repete
Nessa afinação penetrante
Musica de fundo, de frente, de lado
Da ritmo e define os compassos da Dança

Esse bailar de corpos desnudos
Tangos e bossas
O molejo do samba
Forro coladinho
Fazer dessa cama carnaval da Bahia
O meu palco ou o seu
Ou salões inusitados
Coreografia quente
Vibrações incessante
Há passos marcados
Cumplicidade
Mas é tudo espontâneo
E parece ensaiado

Regidos por essa bateria de chocar de íntimos
E você a portar a minha bandeira
Cadencia, Harmonia
Apoteose


i.

5 comentários:

LUA disse...

tenha uma otima semana
beeeijos

Volúpia disse...

Muito lindo este poema, ainda mais quando declamado ao pé do ouvido, sentindo sua respiração, rosto colado, voz aveludada.. ai, que delícia!

Mas.. o penultimo verso tira um pouco a sensualidade do poema, sabe?
Isso do forró e coisa e tal..rsrs

E o ultimo verso parece jah voltar com tudo e acender um fogo.

Xupadinhas, xupadinhas..

Dando a Bunda pra Bater disse...

Bonito. Gostei. Do you wanna dance?

Enfil

Attitude Problem disse...

Hmmmm... curioso, mas sinto falta das rosas por aqui! ;))) (Talvez pela paixão que aqui se vive?!)


Um beijo... ou três.

Attitude Problem disse...

Você pode me ver
Do jeito que quiser
Eu não vou fazer esforço
Pra te contrariar
De tantas mil maneiras
Que eu posso ser
Estou certa que uma delas
Vai te agradar...

Porque eu sou feita pro amor
Da cabeça aos pés
E não faço outra coisa
Do que me doar
Se causei alguma dor
Não foi por querer
Nunca tive a intenção
De te machucar...

Porque eu gosto é de rosas
E rosas e rosas
Acompanhadas de um bilhete
Me deixam nervosa...

Toda mulher gosta de rosas
E rosas e rosas
Muitas vezes são vermelhas
Mas sempre são rosas...

Se teu santo por acaso
Não bater com o meu
Eu retomo o meu caminho
E nada a declarar
Meia culpa, cada um
Que vá cuidar do seu
Se for só um arranhão
Eu não vou nem soprar...

Porque eu sou feita pro amor
Da cabeça aos pés
E não faço outra coisa
Do que me doar
Se causei alguma dor
Não foi por querer
Nunca tive a intenção
De te machucar

Porque eu gosto é de rosas
E rosas e rosas
Acompanhadas de um bilhete
Me deixam nervosa...

Toda mulher gosta de rosas
E rosas e rosas
Muitas vezes são vermelhas
Mas sempre são rosas...




ROSAS


[Excelente!]