sábado, 24 de janeiro de 2009

Violando Meus Sentidos.


Roça essa tua pele sedenta em mim
Deixa-me sentir a expressão úmida de seu corpo
que extravasa do desejo
Enche a meus lábios matando minha sede de luxuria
Minha língua em devaneio
busca em cada centímetro seu, uma razão
Mas ao invez disso
Encontra a pulsação descontrolada de suas partes,
Saboreia teu mel, teu veneno
Minhas mãos se enchem de tua carne
Meus sentidos, derretidos no fogo do inferno
Não há mais mente
Como também o tempo e o espaço
Na sua presença, o meu eu bestializado
Fome e Sede da sua presença
Roçar, esfregar, Lamber, mordiscar
Contrair, apertar, beijar, chupar
Arder, fundir, Fuder ...

Gozar

i.

6 comentários:

Anônimo disse...

ótimo !
Pedro
(pedro_ribeiro_2006@hotmail.com)

Volúpia disse...

Parece escrito no momento de uma transa ou no êxtase de uma masturbação com o pensamento nela.

Quando dizem que sua poesia é forte.. querem dizer que ela para te sido feita em algum momento de clímax.

E isso é pouco? Não!
Isso é para poucos como vocÊ!

Um verso seu termina com "uma razão" e o seguinte diz "Mas agora acha a pulsação descontrolada". Este Mas agora é como se houvesse algo no proprio poema que não foi dito.. que foi saltado. Parece que esta conjunção adversativa não se encaixa aí, entende?

rsrsrsrsrs


Diz eu que entendo algo.

Imagem e poema se aliam perfeitamente.

EU SOU NEGUINHA disse...

OLÁ..
Tem selinho e meme pra ti no meu blog.
Beijos Insanos

Volúpia disse...

Huumm..

...o blog tomou uma outra cara. Ta diferente. Com uma cor mais abrasiva. Uma imagem bastante sugestiva. Um toque mais apimentado.

;)

Muitas.. chupadinhas, chupadinhas..

Carolina Diniz disse...

É bom vim aqui quando estou estressada. Assim consigo dar uma relaxada. Adoro seus poemas, poesias, textos, imagens...

Bjs

EU SOU NEGUINHA disse...

Passadinha para uma visita..
Lindo que escreveu para sua volupia...
Beijos insanos